Porque as relações são tão complicadas? Ou melhor... difíceis! O início é conhecidíssimo: rapaz conhece rapariga, rapaz apaixona-se por rapariga, rapariga apaixona-se por rapaz e vivem felizes para sempre! Ou pelo menos, essa é a sensação que nós temos após aquele beijo, ou aquela noite romântica, ou aquele abraço mais apertado. Mas e depois? E depois do "felizes para sempre?!" E os problemas, as frustrações, as sensações de vazio... ninguém me havia alertado para as noites virados um para cada lado da cama! Ou para as discussões repletas de acusações e maifestações repetitivas de frustração! Então e agora, onde está o Manual de instruções para por fim nisso tudo? Ou melhor, porque os contos de fada só mostram o lado bom, e como todas aquelas pessoas são felizes, porque o sapo transforma-se em Princípe na história da Princesa e na minha não?

O meu Príncipe nunca foi sapo. E eu, nunca fui Princesa. Sempre fomos Eu e Ele. Cheios de defeitos e de qualidades. Cheios de coisas boas que só o outro sabia ver e acalentar em nós próprios e isso bastava. Até que deixou de bastar. Não sei porque, mas deixou de bastar. E já há milhões de outras coisas mais importantes do que compreender-nos, aceitar-nos, permitir-nos. Há o jantar para fazer, a loiça para lavar, há que tratar dos gatos, e "por favor não te esqueças de por o lixo na rua!". E há sempre qualquer coisa que se poderia ter feito melhor, sempre qualquer palavra que se poderia ter pronunciado com mais carinho, sempre qualquer explicação que poderia ter sido dada com mais paciência. Mas falta coragem e sobra orgulho.

Onde irá tudo isso parar? Quando o mundo irá abrandar e terei a oportunidade de dizer a mim mesma que esta não é a forma que eu quero conduzir a minha vida! Esta não é a pessoa que eu quero ser? Quando irei recuperar a confiança em mim mesma e definitivamente derrubar o medo que consome-me por dentro e.. realmente começar a fazer a coisa certa?
11 Comentários | edit post
Gostas?